Entendendo o que significa a classificação de BI-RADS

O termo BI-RADS, um acrônimo em inglês para Breast Image Reporting and Data System, é uma classificação desenvolvida pelo Colégio Americano de Radiologia (ACR) com intuito de padronizar os relatórios mamográficos, de forma a minimizar os riscos de má interpretação dos laudos da mamografia, facilitar a comparação de resultados para futuros  estudos clínicos e ajudar a padronizar a conduta mundialmente.

Inicialmente, o BI-RADS foi proposta como uma classificação para os relatórios da mamografia, mas atualmente também tem sido usado para descrever laudos de ultrassonografia mamária e de ressonância magnética

  • BI-RADS categoria 0 – Exame inconclusivo

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 0, isso significa que ele considerou o exame inconclusivo ou incompleto. As causas para uma categoria 0 incluem fatores técnicos, tais como imagens de baixa qualidade, que podem ser devidos ao posicionamento inadequado da mama ou à movimentação da paciente durante o exame. A categoria 0 também pode ser atribuída quando há dúvida sobre a existência ou não de uma lesão, havendo necessidade da realização de outro exame de imagem para tirar a prova. Quando o laudo da mamografia recebe a classificação 0, a paciente é orientada a realizar imagens mamograficas adicionais e/ou uma ultrassonografia complementar das mamas.

Portanto, um BI-RADS 0 não indica nem que a lesão é provavelmente benigna nem que é provavelmente maligna.

  • BI-RADS categoria 1 – Exame normal

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 1, isso significa que a mamografia não apresenta nenhuma alteração.  O exame é completamente normal. As mamas são simétricas e não foram visualizadas massas, distorções de arquitetura ou calcificações suspeitas

O risco de lesão maligna em uma exame classificado com categoria 1 é de 0%

  • BI-RADS categoria 2 – Exame com achados benignos

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 2, isso significa que ele encontrou alguma alteração na mamografia, mas que as características da lesão permitem afirmar que ela é benigna.

Entre as lesões que costumam ser classificadas com classificação BI-RADS 2 temos:

  • Fibroadenomas
  • Lipomas
  • Cistos simples de mama
  • Implantes de silicone
  • Linfonodos intramamários
  • Calcificações tipicamente benignas

Um resultado BI-RADS 2 tem o mesmo valor clínico de um BI-RADS 1. O risco de lesão ser maligna é zero

  • BI-RADS categoria 3 – Exame provavelmente benigno

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 3, isso significa que ele encontrou alguma alteração na mamografia, que provavelmente é benigna, mas que ele não tem 100% de segurança.

Quando o exame é classificado como BI-RADS 3, a conduta sugerida é repetir a mamografia após 6 meses ou se a paciente desejar, realizar biopsia da lesão. Se  a paciente optar por realizar seguimento semestral, a mesma deve realizar exames a cada seis meses por 2 anos. Se após 2 anos, a lesão permanecer igual, o radiologista pode passar a considerá-la um BI-RADS 2. Por outro lado, se em algum momento do seguimento a lesão mudar de características e se tornar mais suspeita, a classificação passa a ser BI-RADS 4, tendo que ser biopsiada.

Portanto, um resultado na categoria 3 indica uma lesão com baixíssimo risco de malignidade, que não precisa ser inicialmente biopsiada, mas que, por prudência, deve ser seguida de perto ao longo dos próximos 2 anos. O risco de lesão maligna do BI-RADS 3 é de apenas 1-3%, ou seja, 97-99% do casos são benignas.

  • BI-RADS categoria 4 – Exame provavelmente maligno

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 4, isso significa que ele encontrou alguma alteração na mamografia, que pode ser um câncer. Todas as pacientes com um resultado BI-RADS 4 devem ser submetidas à biópsia da lesão para que o diagnóstico correto da lesão

O BI-RADS 4 é uma categoria que pode ser subdividida de acordo com o risco de câncer

  • BI-RADS 4A – Lesão com baixa suspeita de malignidade – 2 a 10% de risco.
  • BI-RADS 4B – Lesão com moderada suspeita de malignidade – 11 a 50% de risco.
  • BI-RADS 4C – Lesão com elevada suspeita de malignidade – 51 a 95% de risco.

  • BI-RADS categoria 5 – Exame altamente suspeito de malignidade

Quando o radiologista classifica o seu resultado como BI-RADS 5, isso significa que ele encontrou alguma alteração na mamografia, que quase com certeza é derivada de um câncer da mama. Lesões da mamas com típicas características de câncer incluem nódulos densos e espiculados, calcificações pleomórficas, lesões com retração da pele ou distorções da arquitetura da mama ou calcificações lineares finas dispostas num segmento da mama. Todas as lesões BI-RADS 5 devem ser biopsiadas.

O risco de lesão maligna em uma exame classificado com categoria 5 é de 95%

  • BI-RADS categoria 6 – Exame com diagnóstico confirmado de câncer pós biopsia

A classificação BI-RADS 6 é utilizada apenas nas pacientes que já têm o diagnóstico de câncer de mama estabelecido e acabam por fazer uma mamografia para acompanhamento da doença, como por exemplo, após início da quimioterapia. Essa classificação serve apenas para confirmar ao médico que a lesão maligna identificada na mamografia é a mesma já conhecida.

Temas frequentes

Fatores de Risco

Estudos mostraram que o risco de câncer de mama é devido a uma combinação de fatores. Os principais fatores que influenciam seu risco incluem ser uma mulher e envelhecer. A maioria dos cânceres de mama é encontrada em mulheres com 50 anos ou mais.

SAIBA MAIS

Exames de Rotina e Alto Risco

No Brasil, o câncer de mama é o responsável por 28% dos novos casos de câncer diagnosticados todo o ano, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Além disso, é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres e, para 2016, a estimativa do INCA era de 57.960 novos casos da doença.

SAIBA MAIS

História pessoal e familiar

Se você ou alguns de seus familiares tiveram câncer de mama, você pode estar interessado na possibilidade desta doença ter um carater hereditário em sua família. Para isso, a melhor maneira de começar é aprender mais sobre sua história da família tanto de sua mãe quanto de seu pai.

SAIBA MAIS

Cirurgias Redutoras de Risco

A mastectomia profilática é uma cirurgia para remover uma ou ambas as mamas para reduzir o risco de desenvolver câncer de mama. De acordo com o National Cancer Institute, a mastectomia profilática em mulheres portadoras de uma mutação do gene BRCA1 ou BRCA2 pode reduzir o risco de desenvolver câncer de mama em 95%.

SAIBA MAIS

Open chat
1
Olá, como posso te ajudar?