Exames pré concepcionais

Quais são os exames que a mulher deve fazer antes de engravidar?

Idealmente, toda a mulher que deseja ter um filho deve programar a gestação. É fundamental que a mulher inicie uma serie de hábitos: alimentação saudável, controle de peso, ingestão de ácido fólico e a coleta solicitada pelo médico obstetra.

Esses exames, chamados de pré concepcionais, ajudam, junto com a conversa com a paciente, o obstetra a investigar problemas de saúde da mulher prévios e possíveis intercorrências clínicas que podem ocorrer durante a gestação

Quais são os principais exames pré concepcionais?

Hemograma completo:

O hemograma tem como objetivo principal avaliar possíveis problemas sanguíneos das pacientes, com por exemplo: anemias, infecções, alterações na contagem das plaquetas, entre outras. Durante a gestação pode-se observar uma queda da da hemoglobina e um aumento da contagem de glóbulos brancos (células defesa).

A paciente deve se alimentar com alimentos ricos em ferro: feijão, verduras verde-escuras carne vermelha) além de, se necessários, reposição com poli vitamínicos

Tipagem sanguínea (sistema ABO) e fator Rh:

O Rh é uma proteína que pode estar presente nas células sanguíneas, caracterizando-as como fator Rh + quando a paciente apresenta essa proteína em suas células ou fator Rh – quando essa proteína não está presente.

Saber se o Rh da paciente é positivo ou negativo é importante, pois se uma mãe for Rh – e gerar um filho Rh + (isso pode ocorrer se o parceiro for Rh +), o sangue do feto pode entrar em contato com o sangue da mãe, especialmente na hora do parto, fazendo com que a paciente desenvolva anticorpos (células de defesa), podendo prejudicar futuras gestações.

Se a paciente apresentar Rh – é fundamental saber a tipagem sanguínea do parceiro.

Se ele for Rh -, não existe problema e nada a ser feito. Se o Rh do parceiro for +, a mãe deverá tomar uma injeção de imunoglobulina anti-Rh entre 28 a 32 semanas de gestação.

Glicemia de jejum:

A glicemia de jejum avalia a quantidade de açúcar que cada pessoa apresenta no sangue. Esse exame é fundamental para mulher que deseja gestar, pois, uma alteração desse parâmetro pode indicar a presença de diabetes mellitus ou risco aumentado de desenvolvimento de diabetes gestacional.  O aumento da glicemia é assintomático, na maioria dos casos.

A diabetes gestacional pode gerar uma série de compleições para gestação, tais como: aumento do risco de abortamento, malformações fetais (principalmente alterações cardíacas), macrossomia fetal, polidrâmnio (aumento do líquido amniótico) e parto prematuro.

Urina tipo I e urocultura:

O exame de urina tipo I e Urocultura avalia se paciente apresenta infecção urinária. Toda gestante diagnosticada com infecção de urina deve ser tratada, mesmo se não apresentar nenhum sintoma, pois a infecção de urina e uma das principais causas de trabalho de parto prematuro. Além de infecção podem avaliar presença de sangue na urina e cristais de oxalato de cálcio (que podem indicar indiretamente a presença de cálculos renais).

Exame de fezes (protoparasitológico de fezes):

O exame parasitológico de fezes é fundamental para avaliar se a paciente é portadora de alguma parasitose intestinal. As parasitoses podem causar anemia devido a perda de ferro.

Exames sorológicos:

As sorologias devem ser solicitadas para prevenir complicações devido a doenças infecciosas , principalmente no feto:

• HIV;

• Hepatite B;

• Hepatite C;

• Sífilis;

• Citomegalovírus;

• Toxoplasmose

• Rubéola;

• HTLV I e II.

Papanicolau (citologia vaginal):

Esse exame tem a finalidade de diagnosticar precocemente o câncer de colo uterino e suas lesões percursoras. Se uma dessas condições for descoberta, deve-se primeiro tratar e depois avaliar a possibilidade de gestação.

Entre em contato conosco

Envie sua mensagem, dúvida, sugestão. Responderemos assim que possível.

Open chat
1
Olá, como posso te ajudar?